Como fisioterapeutas estão utilizando uma metodologia inovadora para se destacarem no mercado e multiplicarem em até 6x o faturamento médio.


Apresentado por:

Dr. Eliane Coutinho a única PhD. em Pilates Clássico científico no Brasil, com uma experiência de 15 anos formando profissionais e mais de 10 anos dedicados à pesquisas na área.

Gostaria de começar esse artigo fazendo um questionamento:

Você imaginava que a profissão de fisioterapeuta era tão mal remunerada e desvalorizada socialmente, quando escolheu esse curso?

Não é raro ver casos de colegas de trabalho que se matam durante dias para receber menos que R$ 1000 no fim do mês

A média salarial de um fisioterapeuta está em torno dos R$ 2.000 (quando consegue o famoso “Q.I” para trabalhar em um hospital).

E isso após estudar por 5 anos, fazer vários cursos e muitas vezes até pós graduação.

Contando o investimento em estudo, esse dinheiro jamais retornará para esse profissional se ele continuar recebendo o salário que um fisioterapeuta costuma receber.

Mas por que essa desvalorização tão grande do fisioterapeuta no mercado?

Fonte: www.afisioterapeuta.com

Fonte: noticias.r7.com

Fonte: www.cearamais.com.br


Essa pergunta não tem resposta única e com certeza nosso órgão regulador (CREFITO) muito cobra e pouco faz para nos ajudar a driblar essa desvalorização.

Mas algo que não podemos negar é que existe um afunilamento do mercado de saúde, que inclui os fisioterapeutas.

Vou explicar melhor...

Nos últimos anos, houve um grande incentivo do governo para formar mais e mais profissionais da saúde, como fisioterapeutas.

O intuito era formar esses profissionais e oferecer condições para que ocupassem mais regiões no interior do País

Levando os benefícios da nossa linda profissão para quem ainda não usufruía.

E a ideia foi ótima! Muitos profissionais conseguiram se formar e ter um curso superior graças a esse incentivo...

Mas o problema é que a maioria não foi para o interior...

E o que ocorreu foi uma inundação de fisioterapeutas nos grandes centros

O que aumentou a oferta de serviço e despencou ainda mais os preços dos atendimentos.

Estamos falando de 80 mil novos profissionais de saúde sedentos por empregos em clínicas, hospitais, academias...

E o que acontece quando um profissional comum envia um currículo?

(Por “profissional comum” eu me refiro àqueles que tem “SÓ” pós graduação e cursos de especialização)

Esse currículo é descartado na mesma hora pelos donos de clinicas, academias e gestores de hospitais.

E sabe o porquê? Porque assim como você, que tem pós e alguns cursos comuns, existem vários

E no final, a contratação será feita somente por indicação...

E aí lá se vai mais uma oportunidade.

É preciso se diferenciar nesse mercado com tantos profissionais!

E aqui vou mostrar como...

Sim, esse artigo vai tratar sobre o método Pilates.

Mas apesar do Pilates em si já ser um diferencial grande na sua carreira de Fisioterapeuta

E estudos já dizem que somente sabendo o método você já consegue ganhar até 6x mais do que um profissional sem esse conhecimento.

Fonte: mdemulher.abril.com.br

Fonte: blogpilates.com.br

Ter apenas o repertório de exercícios que um curso comum dá, não te diferencia em nada.

É preciso ter um método inovador que verdadeiramente te destaque.

E é disso que vou falar aqui:


Como fisioterapeutas estão aplicando uma metodologia inovadora para ampliarem suas oportunidades profissionais, serem reconhecidos pelo mercado e resgatando o amor pela profissão, utilizando apenas 5 acessórios básicos de Pilates.


Caro leitor,

Se você chegou até esse artigo é porque você está insatisfeito com sua situação atual na profissão

Ou mesmo sente que chegou a hora de dar um UP na sua carreira e alavancar seu reconhecimento e seus rendimentos.

Mas ainda não sabe como...

Nesse momento você talvez já começou a duvidar se todos esses anos estudando valeram a pena

E se sente extremamente frustrado quando:

  • Trabalha com muito empenho e não é reconhecido pelo mercado.
  • Percebe que estudou tanto (as vezes até já tem uma pós) para no fim do mês receber um salário injusto.
  • É chamado de Doutor ou Doutora pelo CREFITO, mas não é nem de longe reconhecido como tal.
  • Não tem coragem de falar com seus amigos e familiares o quanto ganha por tantas horas trabalhadas.
  • Pensa naquele jovem que saiu da faculdade cheio de esperanças e paixão pela profissão, mas encontrou um mercado que não te valoriza.

Eu sei bem o que é cada um desses sentimentos.

Eu sofri a mesma coisa no início...

E mais do que isso, em meus 15 anos de experiência e como PhD. na área

Eu pude ajudar mais de 5.620 profissionais tão desmotivados quanto você

De profissionais já formados em Pilates àqueles que nunca realizaram um exercício de Pilates

De recém formados que não tinham experiência até veteranos que queria dar um UP na carreira.

Todos eles encontraram um meio de sair desse buraco, com uma metodologia inovadora que reúne 15 anos de estudos e utiliza apenas 5 instrumentos básicos de Pilates.

  • Elementos de baixo custo.
  • Elementos portáteis e que podem ser levados dentro de uma mochila.

Mas que, se usados com a metodologia correta, geram tanto resultado quanto os grandes e caros aparelhos de Pilates

Os profissionais que aprenderam como usar esses elementos com o método certo, deram um primeiro passo em direção ao reconhecimento, tanto profissional, quanto financeiro.

Eles estão sendo os preferidos em um mercado de trabalho afunilado

Estão aumentando em até 6x o faturamento mensal, apenas sabendo usar esses 5 elementos de uma maneira inovadora, para atender o cliente.

  • Mesmo sem um grande investimento inicial.
  • E mesmo sem precisar abrir uma clínica ou Studio próprio...

Eles agora ampliaram suas oportunidades podendo atender a todos (velhos, jovens, doentes, saudáveis, sedentários e atletas) e em qualquer lugar (academias, hospitais, clinicas, Studios e até mesmo na casa dos alunos)

Aí você já pensa que é um método milagroso e que vai resolver os problemas da noite para o dia...

Com certeza NÃO!

O que vou te ensinar nesse artigo é um método que criei em 15 anos de estudos na área

E que gera resultados surpreendentes em seus futuros ou atuais alunos, sem precisar de equipamentos caros.

Ele exige estudo e dedicação como qualquer outro método.

Mas eu conheço os fisioterapeutas e sei que nós não temos medo de desafios!

E a pergunta de ouro é:

Como esse método vai me diferenciar num mercado tão concorrido, me fazendo ser reconhecido social e financeiramente, com apenas 5 acessórios básicos?

A lógica por trás do resultado é simples, mas confesso que o método é mais profundo que isso.

A lógica é:

  • Um cliente que tem resultados rápidos é um cliente satisfeito
  • Um cliente satisfeito é um cliente fiel
  • Um cliente fiel é um cliente que te indica para outros

Mas aí você me faz outra pergunta:

Como esse método vai me diferenciar num mercado tão concorrido, me fazendo ser reconhecido social e financeiramente, com apenas 5 acessórios básicos?

Ou mesmo...

Como gerar resultados para “meu aluno”, se eu nem tenho aluno ainda?

A resposta para a primeira pergunta está no meu método.

Ele é fruto de 15 anos de estudos e aplicações, que me mostraram como potencializar os exercícios comuns do Pilates, gerando alto recrutamento muscular.

Proporcionando resultados rápidos e surpreendentes aos alunos.

E para a segunda pergunta, a resposta é:

Aqui nesse artigo eu vou te mostrar como conseguir seu primeiro aluno divulgador, que te trará novos alunos pagantes fiéis.

E aí vem as últimas perguntas:

  • O que há de tão inovador nesse método?
  • Qual o mecanismo por trás dele que provoca um alto recrutamento muscular, gerando resultados tão rápidos?
  • Afinal, como ele vai me ajudar a transformar minha profissão? Como ele vai me fazer ter resultados profissionalmente?

Para responder a essas perguntas, vou te contar como encontrei o segredo por trás desse método que já mudou a vida de mais de 5.620 profissionais.

E como eu consegui ajudá-los a ter uma carreira sólida e lucrativa começando apenas com 5 elementos básicos e sem o investimento astronômico de montar um Studio.


Era 1987 e eu estava cursando medicina.

Sim, eu comecei na medicina e um incidente me fez me apaixonar e querer ser fisioterapeuta.

Quando eu estava no 2º ano de faculdade, minha mãe sofreu um acidente de carro

E naquele dia, eu fui para o hospital com a certeza de que a medicina salvaria a minha mãe e a traria de volta sã e salva.

Mas o que ouvi do médico foi: “Ela não tem chance de voltar ao normal”

Confesso que era muito nova e inocente na época, mas mesmo assim, essa frase me tirou as esperanças, naquilo que eu tinha muita fé: a medicina.

Mas não desistimos e fomos atrás de outros métodos de recuperação

E achamos a Fisioterapia.

Depois de um bom tempo fazendo, minha mãe estava completamente recuperada e eu completamente apaixonada por uma nova profissão que ajuda as pessoas.

Foi então que entrei pro curso de fisioterapia, mas não larguei a medicina logo de cara.

E aquela dúvida me corroía:

Eu ouvia muito falar que fisioterapia não dava dinheiro

E nesse momento eu estava entre o meu sonho (Fisioterapia) ou a estabilidade financeira (Medicina)

E, como vocês devem imaginar eu escolhi pelo meu sonho: A fisioterapia

Sem saber até então, que esse sonho também me traria estabilidade financeira e muito reconhecimento depois que formulei e comecei a aplicar meu método.

Sempre fui muito estudiosa, adorava pesquisar na faculdade e me formei muito bem.

Mas assim que saí, vi um mercado de trabalho que não me dava o menor reconhecimento

Tanto social, quanto financeiro

E olha que isso já tem muito tempo e o mercado era BEEEM menos concorrido.

Eu perdi a conta de quantas vezes eu voltei com o choro parado na garganta, logo depois de ter tomado mais um NÃO ou simplesmente dar com a cara na porta ao tentar um emprego na área.

Eu perdi a conta dos currículos que enviei e não obtive retorno.

Perdi a conta de quantas vezes eu me peguei sentada no quarto da casa dos meus pais pensando aos prantos:

“Eu preciso deixá-los orgulhosos”

“Eu preciso provar para todos que fiz a escolha certa”

Para conseguir meu primeiro “emprego” eu precisei implorar por 20 vezes para ser atendida pelo recrutador.

Quando consegui, meu salário estava mais para uma bolsa de estudos.

Eu recebia R$ 350, o que hoje seria algo em torno de R$ 750

Eu trabalhava feito uma condenada

Atendia muitos pacientes, trabalhava por horas e horas para no fim do dia ouvir coisas como:

“Eu só estou fazendo porque meu médico mandou, porque eu mesmo não vejo diferença.”

Eu não era reconhecida financeiramente e nem socialmente.

O CREFITO me chamava de Doutora, mas eu não tinha dinheiro para comprar um café na padaria...

Mas essa frase dessa paciente ficou na minha cabeça...

Como eu queria reconhecimento, se na cabeça da maioria dos meu pacientes eu não estava os ajudando verdadeiramente?

Mas o tempo foi passando e cada dia mais eu me sentia frustrada com a profissão

Sentia que a paixão estava se apagando, sentia que já estava perdendo as forças.

Eu nunca tive dinheiro, nunca foi fácil e meus pais sempre me ajudando.

Mas quando seria a minha vez de ajudar?

Quando eu daria orgulho a eles?

A cada vez que me perguntavam se eu ganhava bem, em uma roda de família ou de amigos

Eu desconversava ou dizia que eu estava só estagiando

Mas aquilo por dentro me destruía.

Eu só queria fazer o que eu amava, ajudar pessoas e ser reconhecida por isso.

Eu pensei então que minha solução estava em estudar mais.

E fui fazer pós graduação e depois mestrado.

Mas não vi nada melhorar significativamente. Continuava ganhando muito pouco e com pouco reconhecimento.

No hospital que trabalhei via pessoas apenas com nível técnico em outras áreas, ganhando mais que eu com pós e mestrado.

Mas foi justamente no mestrado que eu conheci algo que começaria a mudar minha vida

O Pilates

Durante minha adolescência eu fui diagnosticada com Espondilolistese, que é quando uma vértebra da coluna desliza para frente sobre o osso abaixo dele, causando muita dor lombar.

Então lá fui eu, ter acompanhamento fisioterapêutico.

Confesso que me ajudou muito, mas não tirava completamente minha dor.

Mas em uma noite, tive uma dor insuportável e precisei ir ao médico ver o que estava acontecendo.

Ele me deu duas opções

  • Cirurgia ou
  • Pilates

Eu nem conhecia esse método e quando fui estudar sobre, eu duvidei.

Esse método complementar à fisioterapia é que vai me dar resultado?

Mas eu não queria de forma alguma fazer cirurgia e pra fugir disso eu topei fazer algumas aulas

Surpresa:

  • 32 aulas depois minha dor lombar havia SUMIDO!

E aqui eu vi a diferença que o método Pilates faz em complemento com a fisioterapia.

Ele trata não só a enfermidade, ele não só reabilita, como melhora a qualidade de vida e trata a alma.

Ou seja, o Pilates abre um leque de opções profissionais onde aplico em clientes doentes e saudáveis!

Vi aqui a solução de todo o problema de reconhecimento financeiro e social.

E aí então eu encontrei minha segunda paixão. Como pode, um método que tirou uma dor que tinha desde a adolescência?

Porém, pouco tempo depois, a dor foi voltando. Com uma intensidade bem mais fraca, mas voltou.

E eu estava sedenta por entender o porquê. Por que a dor sumiu? E por que depois de um tempo ela voltou?

Para tentar entender como esse lindo método funcionava, fiz minha formação em Pilates no Canadá

Mas mesmo na formação eles ainda não me explicavam porque esse método funcionava cientificamente e o porquê de cada exercício.

Pra mim isso não era suficiente.

Nas formações de Pilates que eu ministro, tem uma frase que amo dizer:

“Vocês não vieram aqui aprender a como dar exercícios, isso qualquer aulinha de Youtube te ensina. Eu vou ensinar a vocês como transformarem vidas através de resultados reais para seus clientes e consequentemente para vocês mesmos em suas profissões.”

E pra mim, apenas aprender o exercício era muito pouco, eu queria mais, queria a metodologia.

Nesse momento eu já fazia Doutorado em Fisioterapia, na linha de pesquisa na área de adaptação muscular

E muitas chaves viraram na minha cabeça, pensando como usar as descobertas das minhas pesquisas num método centenário mas sem base científica

Concluí o doutorado e o Pilates não saiu da minha cabeça...

Foi ai que veio o Pós-doutorado em Pilates

Era a minha chance de testar tudo que eu queria e descobrir as respostas para minhas dúvidas.

Era minha chance de criar a minha metodologia, para potencializar os exercícios de Pilates.

E foi aqui que descobri o segredo que torna meu método tão poderoso.

Pós Doutorado: Descobrindo como gerar produção de fatores de crescimentos no músculo esquelético (UFSCar/SP)

Durante meu pós doutorado, eu analisei uma pesquisa experimental em modelo animal com músculo esquelético de ratos

(o músculo do rato é em média 95% similar ao do homem, por isso eleito para analisar efeitos semelhantes em humanos)

Essa pesquisa iniciava mostrando algo que já sabemos.

A hipófise é responsável pela produção de GH, que quando no fígado estimula a produção do IGF

O IGF é o fator de crescimento do músculo, tanto radial (hipertrofia radial, ganho de força) quanto longitudinal (hipertrofia longitudinal, ganho de flexibilidade).

O problema é que ao envelhecer a hipófise vai diminuindo, e não importa o quanto tentemos acioná-la, ela não produzirá GH como quando jovens.

O que essa pesquisa dos ratinhos mostrou foi:

“Como driblar esse mecanismo natural de produção do GH e do IGF, e gerar resultados independente da hipófise”

O experimento foi o seguinte:

As hipófises de 3 grupos de animais foram retiradas, e após isso eles foram submetidos a situações diferentes

  • Controle – animais sedentários, sem fazer exercícios
  • Natação – animais submetidos a natação todos os dias
  • Exercício de força – animais submetidos a exercícios de subir e descer escadas carregando um peso nas costas
  • O resultado da pesquisa mostrou:
  • Grupo 1: Controle – Músculo atrofiado
  • Grupo 2: Natação – Hipertrofia leve
  • Grupo 3: Exercício de força – Grande hipertrofia

Mas o mais interessante é que, quando dissecaram os músculos e fizeram análise  de IGF (que é responsável pela manutenção do trofismos e hipertrofia sistêmica) eles viram o seguinte:

  • Grupo 1: Controle – Músculo atrofiado = zero de IGF (sem produção)
  • Grupo 2: Natação – Hipertrofia leve = zero de IGF (sem produção)
  • Grupo 3: Exercício de força – Grande hipertrofia = zero de IGF (sem produção)

Mas como assim? Como ocorreu hipertrofia sem ocorrer produção de IGF?

Os pesquisadores viram que, quando executamos determinados tipos de exercício nós temos a capacidade de produzir um outro fator de crescimento independente da hipótese

O MGF.

Se você buscar na internet o que é MGF você verá que algumas ampolas de anabolizante.

Então olha que máximo!

“Quando fazemos determinado tipo de contração durante o exercício, o músculo produz nosso próprio anabolizante fisiológico (natural)”

E não se engane em achar que hipertrofia só serve para “bombar” e deixar o corpo bonito.

Músculo forte e elástico é sinônimo de juventude e prevenção de lesões. Por isso digo que esse método serve para todo tipo de aluno.

E essa conclusão extraordinária da pesquisa, nos leva a perguntar:

Mas que tipo de exercício é esse capaz de produzir anabolizantes fisiológicos e potencializar resultados super rápidos?

Eu te respondo essa:

Os únicos exercícios capazes de gerar tal fator de crescimento natural são:

“Os exercícios que provocam contrações submáximas do músculo”

Pós Doutorado: Descobrindo como esses fatores de crescimento são produzindo em Humanos (USP/SP)

INCRÍVEL, não é mesmo!

Saí dessa pesquisa muito animada a aplicar todo aquele conhecimento ao método Pilates que todos estavam aplicando e não tendo os resultados que eu desejava e os clientes precisavam,

Aí eu iria me diferenciar do mercado, não pela novidade, mas pelos resultados.

Eu precisava potencializar o método e comecei a estudar.

Durante muito tempo pesquisei somente sobre isso.

Descobri então uma forma de gerar a tal contração submáxima apenas com exercícios de Mat Pilates (exercícios no solo), independente de equipamentos.

Mas durante meus estudos, vi que apesar de não precisar usar nada,

Haviam 5 acessórios básicos e de baixo custo, que quando unidos com minha metodologia aumentavam o que a neurociência define como recrutamento muscular

Ou seja, esses acessórios associado à “bendita” contração submáxima, acionavam mais músculos do que o normal, potencializando ainda mais o método.

Comecei a aplicar em mim mesmo, que na época estava com dores insuportáveis por conta de uma fibromialgia recém descoberta.

E os resultados foram assustadores

Não só minhas dores agudas sumiram de maneira perpétua

Como eu consegui resultados incríveis com meu corpo.

Então, comecei a aplicar isso em meus poucos alunos que tinha na época.

Pouco tempo depois, sem fazer grandes investimentos iniciais, eu estava com a agenda lotada de alunos

E o melhor, eles nem se importavam com o preço de uma aula, contanto que fosse comigo e usando meu método.

Isso porque os meus alunos tinham resultados tão surpreendentes em tão pouco tempo que eu me tornei referência.

Eu realizava o sonho dos meus alunos usando esse método.

Sonhos como:

  • Acabar com uma dor
  • Aumentar algum músculo (hipertrofia radial)
  • Ganhar flexibilidade (hipertrofia longitudinal)
  • Ganhar força (aumento de fatores neurais)

Ou seja, o método funcionava comigo e com todos que aplicavam da maneira que eu explicava.

Não só para os alunos de Pilates, como para os profissionais de fisioterapia e educação física que aprenderam esse método comigo e foram utilizar no mercado de trabalho.

Foi daí que nasceu o método que chamo de Professional Muscle Props (PMP)

Que já ajudou mais de 5.620 profissionais a ampliarem suas oportunidades no mercado, sendo reconhecidos e os preferidos pelos alunos.

Dei esse nome porque Props faz referência aos acessórios básicos

Mas ele vai gerar resultados extraordinários na musculatura do aluno

Te transformando num Profissional disputado pelo mercado

Uma metodologia única que usa 15 anos de estudos e aplicações para aumentar o recrutamento muscular, produzindo anabolizantes fisiológicos

Potencializando os resultados dos seus pacientes e consequentemente os seus resultados profissionais.

Tudo isso utilizando apenas os 5 acessórios de baixo custo mais utilizados no método Pilates comum.

E não esqueço a vez que uma aluna um pouco mais velha que, com apenas 3 mês de aula me disse:

“Me sinto com a vitalidade de quando tinha 20 anos”


Vocês conseguem imaginar minha felicidade ao ouvir coisas assim?

 

Me lembrei daquela vez, quando ainda trabalhava no hospital, que ouvi que fisioterapia não dava tanto resultado e ri...

Agora eu podia chegar em casa orgulhosa do meu trabalho

Agora eu dava orgulho para meus pais

Agora havia começado a ganhar dignamente

Agora eu tinha provado que minha escolha foi correta.

Mas aí você me pergunta:

Como aplicar o Método Professional Muscle Props (PMP) para que você tenha os mesmos resultados que eu e mais de 5.620 profissionais tivemos?


Copyright © 2018 Fisiociência Pilates
Todos os direitos reservados
Termos de Uso | Políticas de Privacidade